sábado, 26 de junho de 2010

Artroplastia... (7 meses depois)



Quando escrevi aqui no blog um post sobre a artroplastia total de quadril a que me submeti em novembro, não pensei que fosse atrair tantos visitantes interessados no assunto.

Na verdade, esse post tem sido o campeão de audiências, com 87 comentários até hoje, sem contar os e-mails trocados em particular.

Acho que já está na hora de um up-date.

Depois da cirurgia encarei muito seriamente o programa de recuperação. Comecei a fisioterapia ainda no hospital , fiz hidroterapia, pilates, antiginástica e hidroginástica, até conseguir trocar o andador por muletas axilares e depois por uma bengala comum. Todo dia.

O primeiro mês foi o mais difícil, por causa da falta de autonomia. Ainda sem poder me apoiar na perna operada, precisei de “motorista” para me levar à fisioterapia, de alguém para me buscar um copo de água, de ajuda para as coisas mais comezinhas do dia-a-dia. É difícil carregar um objeto de um lado para outro (um livro, por exemplo), quando se tem as duas mãos ocupadas pelo andador ou pelas muletas. A insegurança bate feio, sem falar que o andador é muito cansativo.

Depois do primeiro mês pude dispensar uma das muletas e voltar a dirigir. A vida melhorou muito.

Quatro meses depois já me sentia ótima. Em abril fui fazer uma viagem de sonho, há muito tempo idealizada: Índia, Nepal, Tibete e Butão. Levei a bengala, por via das dúvidas. E usei. Foram trinta dias. Em alguns momentos a exigência física foi grande, como na subida da escadaria do Potala, em Lhasa, cidade a 4 mil metros de altitude, que desci depois debaixo de vendaval com direito a chuva de granizo. Mas me saí bem e no geral tudo correu tranqüilamente. Uma certeza: antes da cirurgia eu não teria condições de aproveitar aquela viagem.

Quando voltei para casa não retomei o programa de exercícios. No fundo foi picaretagem, mas eu tinha mesmo pouco tempo para engrenar alguma coisa, já que estava com nova viagem planejada para o finalzinho de maio. Dessa vez fui a Portugal, Inglaterra e Irlanda (depois eu conto), e não levei a bengala. Foi cansativo, mas foi bom. Vinte dias, cheguei domingo passado, bem na hora do jogo do Brasil com a Costa do Marfim.

No resumo da ópera, estou quase boa. O condicionamento físico ainda precisa melhorar, e o tendão de aquiles do pé direito dói bastante quando ando muito. É o que tem me incomodado mais. A perna ainda incha um pouco e sinto uma espécie de formigamento difícil de descrever. Mas nada se compara aos desconfortos de antes. Nem de longe.

Só posso dizer que valeu a pena. Se soubesse que seria tão bom, teria feito antes. E o futuro a Deus pertence.

=================

Em tempo: Ainda não consigo cortar as unhas do pé direito.

33 comentários:

  1. Fico muito feliz com a sua recuperação e nova disposição! S.J.

    ResponderExcluir
  2. Não se preocupe,ainda irá conseguir cortar suas unhas do pé direito.Estou tambem muito feliz com sua recuperação e de poder fazer as sua viagens que tanto gosta. Um abraço e fique com Deus!

    ResponderExcluir
  3. Oi, S.J.
    Oi, Marta
    Muito obrigada aos dois. Espero que tudo esteja bem com vocês também.
    Marta, como anda o pós-cirúrgico?
    Bjks

    ResponderExcluir
  4. Oi m.Jo.estou bem,um pouco impaciente,pois não sou de ficar parada,mas é por pouco tempo. A minha recuperação vai ser um pouco lenta,a minha protese é hibrida,parafusada no acetabulo e cimentada no femur,vou levar 03 meses de muleta,só tocar o pé no chão,sem forçar.Faço fisioterapia 03 vezes na semana,a fisioterapeuta vem em casa,ainda estou acamada,ando um pouco com andador,e deito ou sento de novo "na cama". Fico feliz por vc está feliz,fica com Deus,um beijão!

    ResponderExcluir
  5. Oi M.Jo boma dia

    Lembra-se de mim Vivaldo de Piracicaba, pois é dia 08 julho ou seja depois de amanhã estarei fazendo a cirurgia de quadril, já não estou mais temeroso pois após tantas pesquisas que fiz e comentários principalmente os seus vou encarar sem medo pois de modo final este é o unico jeito de ficar livre das dores.

    Fico feliz também pela sua recuperação. É isso aí vamos que vamos .

    Bastante saude beijos

    ResponderExcluir
  6. no dia 2/08/10 farei atroplastia total do quadril,depois de ler seu depoimento sinto mais segura em fazer..feliocidades..

    ResponderExcluir
  7. cicero vieira da silva24/08/2010 20:07

    gostaria muito de conversa com alegue por que estou preste a fase uma sirugio total do quadril que protese dos dois quadrei por favor alguem mem ajude

    ResponderExcluir
  8. Olá, Cícero.
    Está ansioso com a cirurgia, né? Todo mundo fica, dá medo mesmo. A vantagem é que a matemática está do nosso lado. A chance de dar certo é muito maior.
    Um abraço, sucesso na operação e bem-vindo ao blog.

    ============================

    Falha nossa:
    Vejo agora que deixei de responder a três comentários deste post: da Marta, do Vivaldo de Piracicaba e de um anônimo. Desculpaê, gente. Escapuliu.

    ResponderExcluir
  9. vc mem ajudou muito com suas palavras obrigado cicero

    ResponderExcluir
  10. vc sabi mem falo o tempo de recuperação desse tipo de cirugia cicero

    ResponderExcluir
  11. cicero vieira da silva28/08/2010 11:29

    muito obrigado por ter nem resposta do? gostaria de saber quanto tempo leva a recuperação de uma cirurgia de pro tese dos dois quadril tenho 36 amos muito obrigado espero resposta

    ResponderExcluir
  12. Oi, Cícero.
    Calma, garoto!
    Não sei responder "em tese", mas posso lhe dizer quanto tempo demorou a minha recuperação: um mês de andador e/ou duas muletas axilares, um mês com uma muleta só, três meses de bengala. Fisioterapia todo dia. No segundo mês já pude dirigir, no quarto mês fui viajar pro Himalaia.
    Operei um quadril apenas.
    Você vai operar os dois de uma tacada só?

    ResponderExcluir
  13. cicero vieira da silva28/08/2010 12:04

    muito obrigado pela resposta? não sei ainda se vai ser as duas de um veis espero que seja porque sim fico livre de uma veis ?este e meu nsm/ cicerovieira65@hotmail.com gostaria muito de conversa com vc , por que com vc agora estou mais comfiamte e mais forte muito obrigado por tudo

    ResponderExcluir
  14. Oi m.Jo meu nome é Adriana tenho 35 anos e vou também colocar a protese do fêmur/quadril não por desgaste e sim por um tumor maligno(condrossarcoma) que tenho próximo a cabeça do fêmur, estou muito anciosa, tanto pela cirurgia quanto pela retirada do tumor.
    Uma mistura de medo, ansiedade e esperança, fiquei muito mais tranquila com todos os comentários que li desde que encontrei seu blog, ja passei por uma cirurgia de ressecação do tumor em abril foi um corte pequeno 8 pontos só e hoje quatro meses depois é que estou andando sem mancar, ai ja vem a ansiedade denovo em pensar que terei q ficar de molho mais uma vez e pelo jeito até mais tempo do que da outra, minha cirurgia está marcada para o dia 04/08.
    Você cita algumas vezes o termo "prótese hibrida" o que significa? qual a diferença? Meu médico me disse que ja no hospital irei andar com o auxilio do andador e da fisioterapeuta. Tenho mais uma duvida, a dor que senti da primeira vez foi muito grande e pelo fato desse tipo de procedimento ser maior como é o pós operatório? muito dolorido? Obrigada pela atenção e parabéns pelo blog maravilho, vou deixar meu email para quem puder me ajudar nas minhas duvidas dricamarb@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi, Adriana
    Minha prótese é de titânio e cerâmica, não cimentada. As partes que entram contato são de cerâmica, mas é um tipo de cerâmica resistente, nada parecido com a porcelana de bule de chá.
    A expressão prótese "híbrida" quem costuma usar é a Marta, leitora e comentadora assídua do blog. Acho que ela se refere a esse mesmo tipo de prótese, com dois materiais.
    Quanto ao pós-operatório, não senti dores importantes, e também comecei com fisioterapia e muletas ainda no hospital.
    Sucesso na sua cirurgia, e bem-vinda ao blog.

    ResponderExcluir
  16. pois a cirurgia posso danosa

    ResponderExcluir
  17. a pois a cirurgia posso dansa

    ResponderExcluir
  18. Ola, meu nome é Carol, e venho aqui para comentar sobre esse assunto e pedir uma ajuda.
    minha avo fez a operacao a 15 dias do femu, colocou uma protese. A recureracao motora esta boa, porem ela esta sentindo mt formigamento na peerna que foi operada. Nao esta conseguindo dormi direito. Vcs tem alguma sujestao ou passaram por isso???
    Desde ja agradeco.

    ResponderExcluir
  19. Oi, Carol.
    Eu senti esse formigamento na perna operada, mas não foi nada que me prejudicasse o sono. Com o tempo a sensação foi diminuindo.
    Ainda sinto, mas é uma coisa bem leve e já me acostumei.
    Não é de se estranhar. Afinal, uma cirurgia dessas mexe com todos os nervos, e as sensações se irradiam pela perna abaixo até o pé. Sugiro uma conversa franca com o médico, e talvez uma consulta com um neurologista.
    Um abraço e bem vinda ao blog.

    ResponderExcluir
  20. Gilmara Goveia11/06/2011 05:00

    Oi
    Meu nome é Gilmara, tenho 30 anos e aos 28 sofri um acidente de carro onde tive fratura de acetábulo o q ocasionou a necrose na cabeça do femur, e entao vou ter q fazer a cirurgia de artroplatia total do quadril, estou com muitas duvidas sobre a cirurgia e totalmente decepcionada, pois ja procurei o sarah em Brasilia e simplismente disseram q n tinha vagas e que la nao faziam mais esse tipo de cirurgia mais segundo uma pessoa la de dentro so se consegue vagas se algum politico arrumar e que se mandarem eles operam qualquer coisa, o q é inadimicivel. Estou a 2 anos sofrendo com dores e nao consigo vaga em hospital pois os daqui do Piaui, onde moro, existem mais de 1700 pessoas a espera de cirurgia ortopédica. E fazer particular pra mim está totalmente fora de cogitação. Pior de tudo, que alem da insegurança sobre o procedimento cirurgico esse discaso da saude publica piora tudo. Me desculpe o desabafo, mais é q acho q so quem ja sofreu com essas dores poderia entender o q sinto. Obg pela atençao.

    ResponderExcluir
  21. Olá, Gilmara
    O Sara é assim mesmo. Precisa ter QI.
    Mas vamos fazer o jogo do contente: De repente o seu anjo da guarda está te protegendo, quando fecha as portas do Sara. Você é muito jovem, precisaria de uma prótese importada super durável, coisa que não tem na rede publica.
    Você já pensou em procurar um advogado?
    O blog tem depoimentos que podem ajudar.
    Dê uma olhada, e seja bem vi da por aqui.
    Um abraço e seja bem vinda por aqui.

    ResponderExcluir
  22. Olá, meu nome é Valeria e daqui a dois meses farei esta cirurgia. Foi muito bom ler esses depoimentos, pois estou há três anos empurrando esta cirurgia. Agora o médico disse que não tem mais jeito. Confesso que ainda estou apreensiva, tenho muito medo, mas não tem jeito. A minha prótese também vai ser a hibrida. O primeiro mês não pode por o pé no chão?

    ResponderExcluir
  23. Oi, Valéria.
    Pode por o pé no chão sim.
    Inicialmente com pouca carga, mas aos poucos você vai aumentando o peso até conseguir andar normalmente.
    O tempo que isso vai demorar varia. Existem "linhas de tratamento" diferentes.
    Alguns médicos acham que é melhor ir aos pouquinhos, outros mandam o paciente andar logo.
    As duas correntes estão bem representadas aqui no blog.
    Eu fui aumentando a carga aos pouquinhos e só no fim do primeiro mês larguei uma das muletas e comecei a dirigir. Segui religiosamente as orientações do meu médico, o que me exigiu muuuuita paciência.
    E você? O que o seu médico recomenda?
    Um abraço e muito sucesso na sua cirurgia.

    ResponderExcluir
  24. Nossa, já faz algum tempo que ninguem fala nada por aqui? todo mundo já fez sua tão esperada e temida PTQ?? Bom gente, eu assim como quase todo mundo, entrou em parafusos quando fiquei sabendo da cirurgia, apesar de minha historia com ela ser antiga, fiquei protelando o maximo que deu. Hoje tenho 22 anos e daqui 15 dias farei minha cirurgia de protese total do quadril, usarei uma haste femural ML, um acetabulo metalico trilgy de polietileno e cabeça ceramica ( Isso é o que esta na receita aqui cmg) Diz meu medico que hoje em dia é a melhor que tem, Aos 8 anos fui diagnosticada com doença de Legg-Perthes, fiz uma cirurgia as 9 mas por conta da pouca idade nao pus a protese, apenas tentaram refazer minha cabeça do femur que até então estava bastante desgastada. Sempre senti muitas dores, conforme o tempo foi passando, meu peso aumentando hoje se fico muito tempo sentada ou para dormir é um horror. Por ser muito nova tentei inumeros medicos e todos me diziam que era uma pena, quase um absurdo com a minha idade ter que por uma protese dessas,Mas é a vida né, estou meio apavorada por conta do medo das coisas que eu nao poderei mais fazer, andar de bicicleta, correr . o skate que tanto amo (não ando de stret, não faço aquelas manobras malucas, pulando de escadas e tudo mais, ando de long, apenas rodando no asfalto em linha reta, no maximo uma lombinha, o que ao meu ver não tem impacto no quadril) Estou dividindo um pouco da minha historia na esperança que alguem leia meu comentario e converse comigo sobre isso. Não conheço ninguem que tenha passado pelo mesmo problema e aguardo ansiosa , e esperançosa por alguem que me diga que as coisas não são tão ruins assim, que eu poderei sim ter uma vida normal, apenas com alguns cuidados, mas que meu fiel e amigo skate podera continuar fazendo parte de mim. Abraços

    ResponderExcluir
  25. Oi, Anônima
    Está chegando a hora, e imagino a sua ansiedade. Afinal, você é mesmo muito jovem e está encarando uma situação que vai definir a sua relação com a vida daqui prá frente, seus espaços e seus limites.
    Olha, eu acho que os seus espaços vão aumentar. A idéia é essa. Ninguém se submete a uma ATQ antes da hora, e a hora é medida pela qualidade da vida que se leva. Pense que vai melhorar. Coisas que vc não faz, vai pode fazer. É difícil explicar isso para quem não viveu os processos dolorosos que precedem uma decisão dessas, mas é fato. Coisas pequenas, como mudar de posição na cama de noite sem acordar, calçar meias, amarrar o cadarço do tênis. Como ter vontade de ir a algum lugar e ir, andando, sem precisar medir os passos necessários ou tentar imaginar um caminho mais curto.
    Você vai poder levar uma vida normal, ou perto de uma vida normal. Mais perto do que, provavelmente, está sua vida hoje.
    Mas existem contrapartidas de renúncias a ser assumidas. Não é conveniente fazer de conta que a prótese não existe. Ela estará lá com você o tempo todo, e é preciso que seja bem cuidada. É preciso que seus limites sejam respeitados. Não sei se o skate estará dentro ou fora desses limites, mas com certeza é uma fronteira que você vai precisar avaliar com muita responsabilidade. Assim como inúmeras outras atividades que poderão - ou não - passar a fazer parte do seu cotidiano e dos seus prazeres.
    Espero que sua cirurgia seja extremamente bem sucedida, assim como toda a sua vida futura.
    Conte conosco no que pudermos ajudar.
    Um grande abraço, seja sempre bem vinda por aqui.

    ResponderExcluir
  26. m.Jo, suas palavras fazem mais efeito que muitos calmantes. Como é bom poder encontrar alguem que entende os anseios, as dores, que realmente sabe pelo que a gente passa. Recentemente descobri um problema sanguineo que acarretara em uma cirurgia de alto risco. O que antes eu sairia do hospital em 3 dias agora me fara ficar no minimo 10. Assinarei um documento que eu estou ciente dos riscos da operação. Quando a gente acha que está tudo bem sempre aparece algo. Mas eu creio que tudo dara certo, Tem que dar !!

    ResponderExcluir
  27. ola tambem esto preste a fazer acirurgia. tenho 47 anos e nao tenho mais vida ativa . t udo parou nem consigo me imaginar diferente.e possivel que me coloquem a protese ibrida .acho que nao e a melhor

    ResponderExcluir
  28. fiz cirugia do quardril no mes maio hoje estou com tres meses ,estou fazendo fisioterapia,estou bem melhor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ainda vai melhorar mais, você vai ver.

      Excluir
  29. Meu nome é SEBASTIÃO e meu pai é que fez essa cirurgia (artroplastia total do quadril esquerdo) ha 25 anos. Hoje ele necessita fazer uma revisão dessa cirurgia com exerto ósseo e está aguardando numa fila de espera no INTO-RIO. Como falaram alguns colegas, o tempo de espera é muito grande.

    Eu resolvi recorrer na justiça para fazer num Hospital particular pago pelo SUS, e minha dificuldade é achar um HOSPITAL em BRASÍLIA que realize essa cirurgia com enxerto e tenho convênio com o SUS.

    O processo está na Defensoria Pública da UNIÃO. E o defensor me pediu para procurar .

    Se alguém poder me ajudar agradeço muito.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sebastião,
      Mandei uma resposta para o seu e-mail. Acho que os melhores conselheiros são os médicos especialistas eles conhecem os caminhos das pedras.
      Você fez bem em ter recorrido à justiça. Vamos torcer por bons resultados.
      Um abraço

      Excluir
  30. tenho 41anos vou fazer lodo esquerdo no sus ja fiz risco deu tudo certo mas tou apreencivo

    ResponderExcluir
  31. OLÁ,Anonimo nao sei se ja fez a cirurgia, eu fiz dos dois lados ATQ , fiz do esquerdo a 25 anos, a 4 anos troquei a parte superior desgastou e deslocou, agora dia 22/03/14 fiz na perna direita, hje ando sem muletas e so sinto dores quando esfria, a recuperação e lenta e dolorosa,mas vale a pena. se quiser trocar ideias sobre a cirurgia me manda um imail que passo o face, anota ai elianapy@netsite.com.br , assunto coloque ATQ para identificar se nao é spam.aguardo seu contato, boa sorte conte comigo

    ResponderExcluir

O Blog está fechado. Obrigada pela visita.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.