domingo, 14 de dezembro de 2008

Pau de Cabinda

O assunto de hoje é um chá feito com a casca de uma árvore típica da região de Cabinda (Pausinystalia macroceras). Dizem ser um santo remédio, usado pelos angolanos há várias gerações como estimulante sexual para homens e mulheres. Melhor que o Viagra.

Em Luanda é vendido nas ruas, nos mercados e nos postos de gasolina pelas “tias do Fortex”. Consta que não conhecem reclamações, que “ninguém se queixa porque sabem muito bem que esses medicamentos vêm da terra, e que nunca fazem mal”. Pelo menos é o que registrou “O País em Revista” na edição desta semana.

Há controvérsias. Na internet pode-se encontrar relatos que confirmam os efeitos poderosos da indicação principal, mas agregam desconfortos colaterais sérios. De qualquer forma, o pau de cabinda está a ganhar mundo. Pode ser adquirido pelo reembolso postal, tanto “in natura” como em cápsulas e ampolas. No site segredodaplanta.com a caixinha com 30 doses custa € 16,79.
No paudecabinda.com a embalagem com 28 doses individuais custa € 49,95. Para casal sai mais barato.

Para o chá, pisa-se a casca, ferve-se em fogo baixo por 20 minutos, deixa-se esfriar, côa-se e bebe-se uma xícara por dia.

Ainda de acordo com “O País em Revista”, as vendedoras ensinam que, para se obter melhores resultados, deve-se tomar um copo à noite, antes do ato sexual. Mas alertam contra o uso exagerado ou prolongado do produto que, para além de problemas de saúde, pode viciar.

Outros itens da medicina natural angolana:

Tira-dúvida
– “Chamamos-lhe tira-dúvidas porque deve ser tomado quando as mulheres duvidam que o homem vá trumunar bem. Assim quando ele bebe o chá desse pó, ele mexe melhor e ela fica satisfeita. O produto dá resistência ao homem para que ele não acabe rápido”.

Timba timba – “Serve para fortificar o esperma do homem e para lhe dar mais força”.

Jola-miongo – “Serve para tirar o cansaço do corpo. Cura a dor de coluna. As pessoas bebem o líquido com cola e gengibre. O copo custa 100 kz”.

Cola-cola – “O pó aperta a vagina a vagina e a mulher fica como virgem. Quando ela acaba a menstruação, fica um pouco mais aberta. Nessa altura deve por o pó”.

RDC – “Este produto é melhor do que o cola-cola porque aperta mais a vagina. Por isso nós o vendemos mais caro”.

Doce-doce (pó) – “Serve para a mulher sentir mais prazer”.

Cola – “Serve para acompanhar o maruvo e o quissangua”.

Gengibre – “Também serve para acompanhar as bebidas. Muitos homens preferem comê-lo cru”.

Ngadiadia – “É para mastigar e beber É para mastigar e beber com água ... mas se mastigar não pode beber leite”.

Lussadisso – “Para curar a febre tifóide e a dor de barriga”.

ONjolela – “Serve para afugentar os problemas. Por exemplo: quando um rapaz engravida uma rapariga e não quer mais problemas, esfrega o produto num creme para a pele, ou mistura-o num perfume e fica aliviado”.

O Molhado – “Serve para as infecções urinárias. A mulher que está com comichão na vagina, se lava com ele”.

Olho de baleia – “Bom para mulheres com o colo do útero aberto. Também serve para massagens. Cada colher custa 100 kz”.

O Mundondo – “Serve para curar as cólicas e a dor de barriga”.

Vindogonde – “Servem para o mau olhado. A pessoa esfrega e se acalma. Quem fez aborto também pode beber. Limpa a barriga”.

Bala-dia-cassa – “Se a pessoa tem feitiço e beber a infusão, morre”.

Doce-doce (rebuçado) – “Serve para aumentar a sensação de prazer no homem e na mulher. É só chupar o rebuçado e já está”.

9 comentários:

  1. Cultura popular é um barato mesmo!
    As descrições são hilariantes, mas a do chá de ONjolela é o maior eufemismo da face da terra, hahahahaha!

    “Serve para afugentar os problemas. Por exemplo: quando um rapaz engravida uma rapariga e não quer mais problemas, esfrega o produto num creme para a pele, ou mistura-o num perfume e fica aliviado”.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neste vídeo pode ver como se prepara o Chá Pau de Cabinda:
      http://www.youtube.com/watch?v=unO758vCoSw

      E aqui pode comprar o Chá PAu de Cabinda:
      www.cabinpower.net

      Excluir
  2. Mais um comentário besta: sei não, esses angolanos... suspeito dum povo que precisa de tantos chás e remédios pra namorar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. comentario descriminatorio cara,em toda parte tem cultura,no brasil yem muito mas se nao consegue ver vai ate o amazonia,mato grossso e outos citio, e assim vai ver que nao discrimina, cada medicamento serveparano meio de milhoesquem tiver uma necessidade, por isso antes de descriminar, pensa em ser maduro,informado e commentalidade sa. tem o muntdo a tua volta pra reparar.

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. O texto está interessante, mas esqueceram-se de mencionar o primeiro pau de cabinda a ser comercializado em portugal já produzido em laboratório com certificação de qualidade europeia, pode-se encontrar por exemplo em http://www.ervinhas.com desde 10€ . O proprio pau de cabinda comercializado pelo segredo da planta foi durante muitos anos este de que falo e só recentemente essa empresa lançou para o mercado uma nova marca com uma embalagem muito parecida.

    ResponderExcluir
  5. consumido como esta na discrição é um erro.
    o verdadeiro (em cabinda) bebe-se numa infusão com whisky (fica o pau dentro de uma garrafa com o whisky durante dois ou tres dias e depois bebe-se filtrado).
    cabinda, 14 de fevereiro de 2011

    ResponderExcluir
  6. É... Com uísque tudo fica melhor mesmo. Consumido em doses adequadas, até dispensa o pau-de-cabinda.

    ResponderExcluir
  7. O DIA QUE A ANVISA SOUBER ELA VAI PROIBIR , AI SÓ COMPRANDO DE FAMACIA DE MANIPULAÇÃO .
    ELA VAI FAZER O MESMO COMTRIBULUS TERRESTRE ....ABÇS

    ResponderExcluir