domingo, 21 de dezembro de 2008

No aeroporto

Cheguei ao aeroporto internacional de Luanda às 7 e meia da manhã, para pegar a Taag de sexta-feira com destino ao Rio de Janeiro. Em tese o vôo descolaria às 12 horas. Digo “em tese” porque, como se sabe, os horários indicados pela Taag devem ser considerados com cautela, como simples referência, sem compromisso. E como as reservas confirmadas também não significam absolutamente nada, todo mundo prefere chegar cedo para garantir o check-in e o cartão de embarque.

O painel eletrônico anunciava a partida de três vôos antes do meu: Lisboa, Adis Abeba e Johanesburgo. Num aeroporto qualquer, isso não teria nenhuma importância. Em Luanda, significa o caos.

Das 7 e meia às 10 e meia, esperamos de pé na ante-sala do caos. No caso, no saguão do aeroporto. Centenas de pessoas se acotovelando, malas, sacolas, tranqueiras, calor e nenhuma informação. Todos barrados, sem acesso à sala de check-in.

Vocês já viram um aeroporto lotado?



Para passar pelos seguranças, até onde pude perceber, era necessário que alguém “de dentro” lhe abrisse os caminhos. Ou você conhecia alguém, ou fazia por onde ficar conhecendo ($$$).

Depois do check-in, na fila da imigração, mais duas horas de grandes demonstrações de cinismo e incivilidade. Como tem gente cara-de-pau para furar fila!!! Homens brancos, louros e bem nutridos, falando inglês, português, francês ou árabe, no exercício entusiástico do “farinha pouca meu pirão primeiro”. Quanta arrogância! Quanta falta de educação!

Fico por aqui pensando que a grosseria pode ser muito contagiosa. Transmitida por relações sociais contaminadas e retroalimentada num círculo vicioso de maus exemplos e estupidez. Felizmente tem cura. Cortesia é uma excelente vacina. Tem andado em falta, mas custa muito pouco.



Um pouco de conforto durante a espera: às vezes tinha espaço prá sentar.

8 comentários:

  1. fernando baião21/12/2008 12:57

    Pois é amiga, se fosse só naquele dia, eu pediria, como angolano, desculpa, mas como já dura há anos, vou fazer como mais então?Vou para um canto e choro, para tirar um grande peso das costas.

    ResponderExcluir
  2. suas malas, chegaram?
    as minhas estão no vácuo, assim como metade da carga do vôo que a TAAG fez a gentileza de não embarcar neste mesmo dia.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, deve dar ate desanimo qdo vc pensa em viajar heim....
    Lembro do post da viagem anterior...
    Bom descanso!!!

    E aproveito pra te desejar um feliz natal!!

    ResponderExcluir
  4. Encontrei este blogue quando estava a perquisar "caos aeroporto luanda".

    O meu marido tinha voo hoje as 12:00 para Lisboa.

    O voo vai sair com 24 horas de atraso, amanhã à mesma hora.

    O check-in é hoje às 15:00

    Alguém conhece algum aeroporto em alguma parte do mundo onde o check in é feito com 20 horas de antecedência?

    Qualquer companhia aerea é responsável pelo alojamento e alimentação dos passageiros em idênticas circunstancias. A TAAG não. Um bilhete de USD $ 1.500,00 não vale nada.

    No fundo, acho que ninguém se preocupa muito com isso...as pessoas nestas circunstâncias, preferem mesmo é embarcar e chegar a casa antes do Natal.

    Há 3 anos, vinha de Benguela com destino a Cabinda, via Luanda. O voo saiu atrasado de Benguela, mas garantiram que a ligação para Cabinda esperaria. Não esperou. Armei tal confusão naquele aeroporto, que em meia hora levaram-nos do lixo do aeroporto para o luxo do gabinete do director comercial da Sonair: não só fomos alojados no Hotel Alvalade, como no dia seguinte às 6 da manhã tinhamos uma carrinha a buscar-nos no hotel, direita pela pista do aeroporto a um avião, que descolou só para nós com destino a Cabinda.

    A ameça que fiz, foi simples: IATA

    As pessoas, desconhecendo aquilo a que as companhias são obrigadas, conformam-se com este caos, e, enquanto assim for, nada muda!

    Isabel S. H. - Lisboa

    Feliz Natal para todos

    ResponderExcluir
  5. Caro Fernando.
    Eu também tenho que me sentar nesse canto e chorar junto. Meus confrades me envergonham, devo desculpas por todos esses kotas pulas idiotas que pululam por aqui.

    Caro João,
    Minhas malas chegaram, mas as de outros colegas também ficaram perdidas por aí. Um desses colegas, ainda hoje, lastimava a perda de suas roupas de trabalho. Prejú. Tomara as suas perdas sejam igualmente passíveis de reposição.

    Prezada Laura,
    Essas viagens sempre despertam em mim sentimentos ambivalentes. Por um lado, o desânimo de antecipar os desconfortos. Por outro, a ansiedade de reencontrar pessoas, afetos e coisas boas da vida. O lado positivo sempre ganha.

    Prezada Isabel,
    Indignação é uma força positiva, favorece as mudanças. Não sei se as suas ameaças fizeram diferença, mas o seu inconformismo, com certeza, fez.
    Seja bem vinda ao blog, volte sempre que quiser.

    ResponderExcluir
  6. Belas palavras, belo post, belo blog. Interessante e informativo sem ser chato, ou seja, fundamental.Parabéns. Vai direto pra minha lista de favoritos.

    Abraços cariocas, quase brasilienses (se o aeroporto deixar)

    ResponderExcluir
  7. Obrigada, Rodrigo. Benvindo ao blog. Abraços brasilienses, cariocas e angolanos.

    ResponderExcluir
  8. Apenas mais um exemplo da áfrica sem futuro. Meus caros há 35 anos que é assim.A culpa é dos colonos que até já faleceram todos ( práticamente). Educação precisa-se em vêz de petróleo e ditadores.

    ResponderExcluir

O Blog está fechado. Obrigada pela visita.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.